21/05/2019

[INTERCULT] CONTO: UMA EXPERIÊNCIA EM SALA DE AULA

Olá, pessoal! Como estão?

Confesso que estava com saudades de estar por aqui trazendo conteúdo bacana. Hoje poderei falar de uma experiência muito interessante que vivenciei em sala de aula.
Sou professora de Língua Portuguesa e Produção Textual em uma escola privada aqui na cidade que moro. Um dos gêneros textuais estudados com a turma do 9° foi Conto, tanto o social quanto conto de amor. Inicialmente, trabalhamos textos que já são postos no livro didático, logo após fomos fazendo as discussões relevantes que os textos abordavam: racismo, questões culturais, de classe social etc. 
Após os momentos de participação e reflexão, solicitei que os alunos produzissem contos problematizando questões sociais de nosso país. Houve um momento para os alunos lerem suas produções e depois tivemos a votação. Abaixo posto os dois melhores contos selecionados pelos alunos:


CICATRIZES
(Autoras: Ana Carla e Olga)

   Eu era uma moça muito feliz. Desde pequena sonhava em me casar com um homem que me fizesse feliz e me amasse de verdade. Certo dia, conheci Thiago, um rapaz de aparência boa, demonstrava ser carinhoso, amoroso e muito educado. Após alguns meses de namoro, nos casamos. Ele dizia que me amava, que eu era importante e especial, e com ele eu estava segura e que seríamos felizes.

   Com dois anos de casamento, eu engravidei e tive a minha primeira e única filha. Thiago me amava de verdade! Era o que eu achava. Depois do nascimento de Lara tudo mudou, aliás Thiago mudou! Eu percebia que algo estava diferente e teve um dia em que ele estava se arrumando para ir trabalhar e o seu celular tocou, eu atendi e então descobri que Thiago tinha outras.
   E, depois de algum tempo, tudo aquilo estava passando dos limites. Ele chegava em casa e eu sentia o cheiro de perfumes de outras mulheres, e via as marcas de batons em suas roupas, até que chegou o dia em que eu não aguentei e começamos uma discussão:

- É o cheiro dela.
- O quê?
- Isso mesmo, você está com o cheiro dela!
- Você tem que entender que eu sou homem e homens possuem necessidades!
- Chega, Thiago!
- Não estou entendendo o porquê de sua irritação!?
- A sua situação é fácil! Você tem um caso, sai de casa e volta a hora que quer e eu que tenho que cuidar da nossa casa e da nossa filha.
- Tenha calma.
- Não, eu não vou ficar calma, eu não vou ficar aqui e aceitar tudo isso. Eu sou a sua esposa e você não pode fazer isso comigo.

   E foi assim que o conto de fadas acabou, e os piores anos de minha vida começaram. Foi a partir dessa discussão que Thiago mostrou o homem que realmente era, aliás, o homem que ele sempre foi. Ele dizia que ele era homem e que eu tinha que entender que ele trabalhava, que o dinheiro e a casa eram dele, que ele ditava as regras e que eu tinha que seguir. Eu não podia abrir a boca, tinha que ficar calada.
   Thiago me proibiu de sair de casa e cortou todos os fios de telefone. Ele destruiu minha felicidade e dignidade, ele destruiu a minha vida e a da minha filha! Ele me batia, me abusava, me ameaçava, me fazia chorar, e eu era humilhada! Ele falava que estava certo, eu estava errada, ele era o rei e eu era a escrava. Eu não tinha dinheiro e não era formada, por esse motivo tudo aguentava, tinha que depender dele, mas eu estava errada.
   Chegou um dia em que eu fugi junto com a minha filha, com a ajuda de meus amigos e por muitos anos eu tinha medo de sair de casa, de ficar sozinha, e de pessoas que se aproximavam de mim. A minha vida se definia na palavra MEDO.
    Mas, hoje, tenho meu dinheiro e minha própria casa. Eu descobri que nem toda mulher, casada, pelo marido é cuidada. Finalmente percebi que amor a primeira vista existe sim! Mas as vezes é sempre bom um segundo olhar.


O segundo conto selecionado foi da aluna Emily Gisela. Segue o texto:


Lutando pela igualdade racial

    Léo é um adolescente de  17 anos,ele mora na favela e é negro.
    Um dia estava chovendo muito, então ele pegou o guarda-chuva para ir pegar sua mãe no trabalho.Chegando lá, ele fica na porta esperando,logo passam alguns policiais e atiram nele.Ele chega a falecer e a desculpa dos policias é que confundiram o guarda-chuva com um fuzil.
    Mas,todos nós sabemos que não foi por isso,o nome é RACISMO,nós devemos parar com isso,todos nós somos iguais independente da cor. Devemos lutar para que isso não aconteça, para o mundo se tornar melhor, faça a sua parte, lute pela igualdade racial.

As fotos abaixo são momentos de encenação e socialização de leituras de contos:







Tiveram mais dois textos que foram bem escritos. Poderei trazer em outro post.  Digam-me:  o que acharam? Interessante, não é? Incentivar os nossos alunos a produzir, ler e escrever é uma missão de suma importância.











Voltarei em breve. Beijos!

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Muito bom incentivar este tipo de coisa na aula, eu lembro que na minha também tinha muita coisa com redação, escrever livros para os outros alunos lerem. E isso é ótimo pois incentiva mesmo. Parabéns pela proposta. A da menina é algo que se vive diariamente, o que uma mulher que se passa passa a temer. Mas hoje, a independência é linda!

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Gostei muito do incentivo e também do resultado de seus alunos, eles estão de parabéns! Seria muito bom que outros alunos tivessem essa mesma experiência. A minha cunhada é professora e ela me conta às vezes das dificuldades de seus alunos. Alunos do 9º ano como os seus, mas que mal aprenderam a ler, mas passavam de ano mesmo assim...
    bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bom?
    Que projeto bacana que desenvolveu! Achei a iniciativa super interessante, assim como os textos escritos pelos alunos! Poste para nós esses outros dois textos que se destacaram também, fiquei super curiosa! O primeiro deste post, escrito por Ana Clara e Olga, chamou muito minha atenção. Beijos!

    ResponderExcluir
  4. parabens pela forma como trabalha em sala de aula com seus alunos. tbm sou professora, mas de História... é sempre bom incentivar a veia criativa deles e sempre nos surpreendemos com suas criações... adorei esse segundo conto, em especial...
    bjs...

    ResponderExcluir
  5. Oi! Que bacana você trazer isso pra gente! Durante muitos anos, meu sonho foi ser professora de português, exatamente como você, e fazer os alunos tomarem gosto pela leitura e pela escrita como eu.. Mas a vida tem rumos diferentes.. Achei a ideia maravilhosa, e fico contente que você consiga tirar o melhor deles. Traga mais contos!

    Bjoxx ~ Aline ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  6. Que coisa linda!!!
    Achei original e sobretudo, muito relevante. Acho que esse tipo de aula e reflexão nunca sairá da mente deles.
    Beijos

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.