26/08/2018

Resenha|| Entre as Estrelas, Katie Khan


"As pessoas que fazem tudo o que lhes é ordenado sem pestanejar... Imagino que não sejam felizes."

Título: Entre as Estrelas
Autora: Katie Khan
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 280


Nada na Terra poderá separá-los. Um romance futurista surpreendente sobre o impacto do primeiro amor e como nossas escolhas podem mudar o destino de todos ao nosso redor. Num futuro não muito distante, após a aniquilação dos Estados Unidos e do Oriente Médio, a Europa nada mais é que uma utopia na qual, a cada três anos, a população se muda para uma nova comunidade multicultural. Em um desses paraísos, Max conhece Carys, e é amor à primeira vista. Ele logo percebe que Carys é a pessoa com quem deseja passar o resto da vida — uma decisão impossível nesse novo mundo. Conforme o relacionamento dos dois se desenvolve, a conexão entre o tempo deles na Terra e o dilema atual no espaço vai sendo revelado. À deriva entre as estrelas, com apenas noventa minutos de oxigênio, eles concluem que só um deles tem a chance de sobreviver. Mas quem?
Não sei nem como começar a falar sobre esse livro que me surpreendeu bastante. Primeiro porque, ao ver o título, imaginei que fosse uma metáfora e não que os personagens realmente estariam "entre as estrelas", segundo porque nunca havia lido um livro como esse e, terceiro porque esse final me deixou completamente perdida e confusa haha.

O livro retrata uma sociedade futurista criada após o Oriente Médio e os Estados Unidos serem aniquilados devido as guerras, e, nessa nova sociedade, a Europa se torna uma utopia em que a cada três anos, os habitantes precisam se mudar para uma nova comunidade multicultural e construir uma nova vida. Isso acontece pelo fato de que, ficando pouco tempo em cada lugar mas tendo oportunidade de conhecer todos os locais, gera menor risco de guerra, pois cada local que você pensar em lutar contra, você deve saber que já viveu lá e que amigos e familiares vivem lá, então, nesta sociedade, eles vivem com algumas regras, em que o individualismo é a principal, devem lutar em nome de si mesmos e não de ninguém mais, nem do país, nem de Deus, apenas de si.

Uma dessas regras é a Regra do Casal em que casais só podem morar juntos e se mudarem juntos pro mesmo local (após os três anos) quando tiverem uma idade avançada, pois eles acreditam que quanto mais maduro, maior a chance do relacionamento durar e menos probabilidade de dar problemas para a sociedade. Portanto, quando Max e Carys se conhecem, passam a ter uma boa convivência, e ao longo do tempo, vão desenvolvendo um relacionamento, entretanto, com muito cuidado devido ao fato de ser proibido pois eles são muito jovens. 


O livro é narrado entre o passado e o presente e em terceira pessoa, nos dando uma visão dos dois. No presente, Max e Carys estão flutuando no espaço, pois ocorreu um problema com a sua nave e eles caíram, tendo apenas 90 minutos de oxigênio, ou seja, 90 minutos para falarem sobre tudo que têm que falar, antes que o ar acabe e eles comecem a sufocar. Porém, no início, não sabemos como eles foram parar aí, e é a partir dos fatos narrando o passado que vamos conhecendo a história deles e entendendo tudo que houve até que chegassem aí.
Vistas da Terra, as estrelas piscam incandescentes, "brilhando" conforme a luz se curva e refrata através das muitas camadas de atmosfera. Porém, no espaço, elas são imóveis, pontos estáticos, cercando Max e Carys e se estendendo até perder de vista.
A  beleza do livro é essa, pois nos joga neste contraste de tempos, em que partimos do passado para o presente e um se conecta perfeitamente ao outro, porém, um dos pontos que me deixou bem confusa foi o final, não sei se entendi realmente o que a autora queria passar, na verdade, não faço ideia do que ela queria passar haha, foi um final bem aberto e diferente, nunca tinha visto nada assim, então, foi bem interessante, porém gera muitas dúvidas e sei que nunca serão sanadas. 

No mais, a capa do livro está maravilhosa, amei muito, a leitura é bastante envolvente e, tirando algumas coisas que me incomodaram - como o final, que ainda não sei se amei ou odiei - o livro é muito bom e interessante, vale a pena ser lido por todos aqueles que gostam de romances futuristas, viagens no espaço e tudo o mais, pois o romance não é realmente o foco, mas sim, a sociedade em que eles vivem.



Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.